Relato de Parto – Cecília

No dia 20.06.2023, às 04:30 da madrugada, acordo com uma forte contração.

Será que havia chegado a hora?

Há dias estava sentindo contrações, na fase de pródromos. A angústia da espera, já com 40 semanas, estava quase roubando a paz do meu coração!

Esperar nunca é fácil, nos tira totalmente do controle. Eu experimentava uma mistura de sentimentos: medo, angústia, expectativa, alegria…

Esperamos e finalmente começou o trabalho de parto!

Fiquei feliz ao ver a saída do tampão e as contrações começarem a ritmar. Mas ainda assim, havia um longo caminho pela frente.

Meu coração estava confiante e a única coisa que eu conseguia pensar era que faltava pouco. Cada contração era uma a menos para conhecer nossa Cecília!

Às 14h fomos no consultório: 3cm de dilatação, colo bem macio, contrações ritmando.

Estava perto, cada vez mais perto! Mas ao mesmo tempo, me perguntava: será hoje? Amanhã? Será na madrugada?

Eu estava entregue, abandonada à vontade de Deus.

O tempo foi se passando, num clima de expectativa, muita oração e entregue a Ele. À tardinha, nossa doula 💖 @luciane_celso chegou para nos acompanhar ainda mais de perto.

As contrações mais dolorosas foram chegando e decidimos que era hora de ir para o hospital. Nossa médica maravilhosa @tauanavaz chegou junto conosco e mais uma avaliação: os mesmos 3 cm de dilatação. Nesse momento, meu coração e meu emocional ficaram bem abalados. Mas desistir naquele momento não era uma opção!

Muita caminhada pelos corredores, agachamentos, exercícios na bola…

Refletia, andando pelo hospital, em quantas pessoas estavam ali sofrendo. Me mantinha em oração e não ousava reclamar das minhas dores, afinal elas trariam minha filha até mim.

Oferecia cada contração por uma intenção particular: algumas pessoas, de forma especial, vinham ao meu coração e rezava intensamente por elas. Quando eu “perdia” uma contração me parecia que a dor era triplicada.

Aprendi que oferecer nossas dores, dar sentido a elas é uma maneira de aliviá-las. Uma forma de unir nosso sacrifício ao de Jesus redentor.

A madrugada passou eu já tinha perdido a noção do tempo. No chuveiro, percebi os raios de sol invadindo aquele lugar. Naquele momento, me lembro de ter feito orações bem profundas.

As contrações estavam latentes, mas ainda parecia longe do expulsivo.

Primeira dose de ocitocina na veia eu fui a outro mundo e voltei!

Imediatamente, pensei que não iria aguentar. Olhei para meu esposo, que esteve ao meu lado em todo o tempo, vivia comigo intensamente o trabalho de parto, sem se alimentar ou beber água, estava unido a mim ofertando pequenos sacrifícios. Então, ele me disse:

“Você vai aguentar, você é uma guerreira!”

Liga a ocitocina. Cada contração eu pensava: é uma dor de vida. Vem filha!

Nessa hora eu já estava na partolândia mesmo, não consigo me lembrar de todos os detalhes. Mas me recordo que minha médica trouxe uma oração a Nossa Senhora do Bom Parto. Rezei entre muitas lágrimas, confiando à Virgem Maria o nascimento da Cecília.

Mais uma examinada e Cecília ainda estava alta, já era possível sentir o cabelinho dela, mas por algum motivo ela não nascia.

Após passadas 30 horas, eu estava exausta e sem forças, acabei me decidindo em ir para a cesária. Foi uma decisão consciente, sentia que algo impedia o nascimento dela de forma natural.

Cheguei ao bloco cirúrgico a pediatra logo disse: Pâmela, você sabe que horas são? Meio-dia! Ela irá nascer na hora do Angellus. Então vamos rezar?

Paramos o bloco cirúrgico e todos rezaram o Angellus comigo.

“Pâmela, ela vai nascer.” Ao fundo tocava: Prova de amor maior não há – gravada pelo Papai.

21.06.2023 – 12:33 – Cecília chegou: 3 circulares de cordão no pescoço, um cordão grosso que acabou limitando a passagem dela.

Arrebatador. Foi o que eu senti quando meus olhos a viram. Tudo tinha valido a pena!

Cada minuto, cada contração, cada momento do trabalho de parto: eu viveria tudo de novo, com ainda mais entrega e intensidade.

Ela é a minha cura. Cura das feridas sofridas nas 4 perdas gestacionais, cura do meu coração ansioso.

Cecília veio curar meu coração de mim mesma.

“Agora sou menos eu, pra ser mais pra você!”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba conteúdos exclusivos!

Muito prazer, me chamo Pâmela Schitine; sou casada, mãe, católica e bióloga, idealizadora das formações “De bem com meu ciclo”, “Método de Ovulação Billings para Iniciantes” e do Aprofundamento “Sede Fecundos”.

Também sou instrutora do Método de Ovulação Billings (MOB) certificada pelo CENPLAFAM desde o ano de 2017, acompanho mulheres e casais em todo Brasil, promovo a divulgação do método ministrando palestras e através de meu perfil do Instagram e do meu canal no Youtube, que somados, atingem quase 70 mil pessoas diariamente.

Pâmela Schitine © 2024. Todos os direitos reservados.